segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Vagalumes Cegos


Nem sei
Dessa pressa toda
Dessa gente tanta
Meios-dias feios
Desses dias chatos
(Vagalumes Cegos, Cícero)

Ultimamente tenho estado numa crise existencialista. Sei lá. Por que a gente faz as coisas que a gente faz? Por que tomamos certas decisões? Acho que isso depende da ambição de cada um. O desejo de ser alguém, de ganhar bem. Ou ter uma família, cuidar da horta, qualquer coisa. Não precisamos de muito para viver, isso é fato. Mas a vaidade nos consome. Sabe aqueles textos que você lê na internet sobre pessoas que largaram tudo pra ter uma vida simples e feliz? É mais ou menos sobre isso que tenho pensado.
Lembro-me de um status do autor Antonio Prata, que curti no Facebook dias atrás, sobre a pressa com que fazemos tudo e a “recompensa” que talvez um dia tenhamos em abdicar de tanta coisa.

“[...] Outro dia, reparei que sempre escovo os dentes com pressa, como se estivesse atrasado para um compromisso. Que compromisso é esse? Não sei. É como se houvesse nascido atrasado, chegado ao mundo meia hora depois e a todo instante tentasse recuperar os minutos perdidos. Talvez por isso me sinta mais acolhido nos dias de semana, dedicados ao trabalho e suas promessas. Alguma hora, ali adiante, a crônica estará pronta, o livro estará editado, o roteiro estará filmado e a concretização desses projetos, acredito, me trará sei lá que conforto, sei lá que certeza sobre mim mesmo --mas nunca traz. Por que se agoniar olhando para a direita do ponto final em vez de se contentar com o que há à esquerda? (Um dia, estarei eu à direita do ponto final e aí não haverá mais o que olhar.)”  

Parece que não podemos perder tempo com nada. E pra que? Pra que precisamos ser, ou ter algo. Não há espaço para perdedor, temos sempre que ser os melhores, vencer, vencer e vencer. Passar naquele concurso cobiçado, ter aquele emprego almejado por todos, ser o que todos querem ser. Não temos tempo a perder.

Talvez esteja filosofando e viajando demais. Não sei. Mas de uma coisa sei, como tempo tá passado rápido! Jesus do céu! O ano está quase acabando e já é tempo de tomar decisões importantes. Os dias passam e eu não vejo. A semana acaba e eu ainda tenho um monte de coisas pra fazer. E sempre aquele velho dilema: viver ou ter?

Eu que já não quero mais ser um vencedor
Levo a vida devagar pra não faltar amor
(O Vencedor, Los Hermanos)

Thaís Coelho


Um comentário: